terça-feira, 22 de abril de 2008

A ciência de Deus


Antes de mais nada, o que seria ciência? A palavra ciência significa conhecimento. Se alguém tem ciência de algo, é porque tem conhecimento sobre tal coisa.

Uma definição mais ampla e formal da palavra é: "o conhecimento ou um sistema de conhecimentos que abarca verdades gerais ou a operação de leis gerais especialmente obtidas e testadas através do método científico."

Estava eu estudando Física Quântica quando me deparei com a seguinte situação:

A Física Clássica não pode ser usada para o estudo de partículas subatômicas. A luz, por exemplo, ora se comporta como partícula, ora como onda. Assim como a Física Clássica não pode, também, ser usada para estudo de grandes quantidades de matéria e energia, deixando o estudo a cargo da Física Relativística.

Mas onde eu quero chegar com essa conversa?

É que fico impressionado como muitas pessoas, em sua maioria leigas, usam o seu "conhecimento" sobre a ciência para justificar a sua falta de fé com relação a tudo que diz respeito a Deus.

Usam o método errado para alcançar a ciência (ou conhecimento) de Deus.

O único método capaz de ser usado, nesse caso, é aquele que engloba a leitura da Bíblia e a comunicação direta com Deus, por meio da oração.

Posso dizer que antes de ter um relacionamento mais íntimo com Deus, eu não sentia nada do que sinto hoje. E esse "método ciêncifico" (ou método de busca do conhecimento) não pode ser ensinado por ninguém, pois Deus se relaciona e age diferentemente com cada pessoa.

Experimente esse método. Abra seu coração, peça discernimento a Deus sobre todas as coisas que te aflige. Ele te escuta, Ele sabe o que você está pensando nesse momento. Deus não arromba corações mas restaura toda a casa quando O convidamos a entrar.

Busque a ciência de Deus!


Abraços fraternos.

2 comentários:

le - disse...

Deus não arromba corações mas restaura toda a casa quando O convidamos a entrar.

eh isso ai

Grande eh o nosso Deus!

Filipe Garcia disse...

Fui ateu e sei que para o cético é difícil simplesmente experimentar esse método. Alias, creio que a grande maioria de céticos, ateus e devotos da ciência não aceitam esse que foi apresentado no texto como único método capaz de ser usado.

Penso que o problema é que a ciência (humana) e fé são coisas diametralmente opostas. "ORA, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem".

Se fé é o firme fundamento de coisas futuras e a prova das coisas que não vemos, obviamente a fé não está sujeita ao escrutínio e não pode ser colocada sob o microscópio. A ciência observa os fenômenos observáveis. A fé interage com outra dimensão. Daí qualquer discussão no sentido de submeter a fé a testes "científicos" ser estéril.

Os ateus, entretanto, não enxergam isso. E nem podem enxergar, a menos que Deus se revele a seu coração.

Para se entender as coisas de Deus é preciso receber, digamos assim, o decodificador divino. Eu só poderia entender os pensamentos do Thiago Rodrigo de forma integral se existisse uma máquina que pudesse extrair o espírito do Thiago e implantá-lo em mim. Aí faria sentido para mim sua forma de pensar.

"Porque, qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? Assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus. Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus. As quais também falamos, não com palavras de sabedoria humana, mas com as que o Espírito Santo ensina, comparando as coisas espirituais com as espirituais. Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente". 1 Coríntios 2

De qualquer forma, belo texto e boa ponderação. Tenho estado por aqui com frequência, embora não tenha comentado sempre.

Um abraço!

Related Posts with Thumbnails